ago
6
2022

CEARÁ – Na reta final das convenções, Elmano de Freitas(PT) retoma apoio de PP e Pros

 

Além das últimas posições nas chapas de Elmano e Camilo, a sexta-feira do PT foi agitada quanto à composição do arco de alianças de legenda. Duas decisões da Justiça Eleitoral garantiram o PP e o Pros junto aos petistas na eleição estadual.

As legendas haviam sido retiradas do bloco após intervenção das executivas nacionais, que desautorizaram coligação com os petistas. Ambos os casos foram levados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e julgados nesta sexta-feira, 5, pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Na tarde de ontem, o magistrado determinou que o comando nacional do Pros fosse reassumido por Eurípedes Júnior, que havia sido afastado do cargo de presidente pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) na última quarta-feira, 3. Com a decisão, o diretório estadual do partido no Ceará voltou a ser presidido por Otoni Lopes, favorável à aliança com Elmano.

Ele substituiu Adilson Pinheiro, que integrava a ala pró-Capitão Wagner, o candidato do União Brasil. Na quinta-feira, 4, Pinheiro tinha retirado o Pros da coligação com os petistas e levado o partido para a base de apoio a Wagner.

O despacho envolvendo o PP foi publicado já durante a noite, em caráter liminar. Lewandowski reconheceu como ilegítima a intervenção da executiva nacional do partido que havia retirado a sigla da coligação com o PT. A decisão foi fundamentada no próprio estatuto da legenda. O ministro ponderou que no documento “não se identifica nenhum dispositivo restringindo o órgão de direção estadual a coligar-se, dentro da respectiva circunscrição, com outro partido”.

Lewandowski ainda classificou a interferência como “ilegal e arbritária” por não estar amparada em nenhuma deliberação prévia da executiva nacional em que tenha sido regulamentado o processo de formalização das coligações pelos diretórios estaduais.

“Em que pese a competência do órgão nacional para anular os atos oriundos de convenções realizadas em instâncias partidárias de nível inferior, não haveria, no caso, diretrizes regulamentadas que justifiquem a anulação parcial da convenção estadual”, sustentou o magistrado.

A decisão decorreu de um mandado de segurança cível movido pelo deputado federal AJ Albuquerque, presidente do diretório do PP no Ceará e filho do deputado estadual Zezinho Albuquerque. O partido realizou convenção no último dia 30 de julho, definindo as candidaturas a deputado federal, estadual e firmando apoio à candidatura de Elmano ao Governo do Estado.

Na última terça-feira, 2, contudo, o comando nacional da legenda determinou a anulação parcial da convenção do diretório cearense. A ordem era manter as homologações das candidaturas proporcionais, mas vetar a adesão do partido ao bloco de apoio a Elmano.

Com as duas reviravoltas causadas por determinações judiciais, o número de partidos que integram a coligação de Elmano subiu de sete para nove. Além do PP, do Pros e do próprio PT, fazem parte do bloco o PV, PCdoB, MDB, Psol, Rede e PRTB. 

Fonte: O POVO.

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, sob o Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalho atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, onde apresento o Programa HORA DA NOTÍCIA - no horário de 11hs ás 13 horas. Nas tardes da Paraíso FM levo alegria de descontração no Programa FORRONEJO de 15hs ás 17 horas. Se ligue com a gente e venha curtir o melhor da informação e do entretenimento musical.

Deixe um comentário