nov
19
2021

SOBRAL -Ivo Gomes recua e agora só exige passaporte de vacina para bares, restaurantes e eventos

Valeu a pressão. O prefeito Ivo Gomes voltou atrás em sua decisão de exigir o passaporte de vacinação para todos os locais. Agora, é só para bar, restaurante e eventos.

Ao contrário do que afirmou na inauguração da ciclovia, na noite de quinta-feira (11/11), Ivo Gomes não vai mais obrigar “todas as pessoas que forem ingressar em qualquer estabelecimento, seja de que natureza for” a apresentar o atestado de vacina. Na ocasião, ele tinha falado que não ia permitir que “o sadismo e a perversidade” comprometesse a saúde da população de Sobral.

A apresentação do certificado de vacina teve abrangência bem menor, restringindo-se a bares, restaurantes e eventos. Exatamente o mesmo teor do decreto estadual, assinado por Camilo Santana e anunciado pelo governador na sexta-feira (12). Na verdade, nem seria necessário o decreto municipal, pois o do governo do Estado vigora em todos os 184 municípios. No Diário Oficial do Município de Sobral, a prova de que a Prefeitura de Sobral apenas copiou e colou o documento estadual, incluindo no decreto até as barracas de praia.

A ameaça do prefeito, que ainda bem não se realizou, de exigir o passaporte sanitário para o ingresso em qualquer local público de Sobral, foi uma resposta inopinada a repercussão da notícia que o Portal Paraíso publicou, revelando que o número de internações subiu 25%, atingindo pessoas que se vacinaram. A matéria se baseou na informação da secretária municipal de Saúde, Regina Carvalho. Segundo ela, o perfil dos internados abrange pessoas que tomaram três doses, incluindo a de reforço, pessoas acima de 60 anos que tomaram as duas doses e pessoas que tomaram apenas uma dose. Disse que a maioria dos casos é de outra cidade, mas há registros de sobralenses adoentados.

Ivo Gomes criticou os adversário políticos, que não teriam empatia nem solidariedade, e falou em nome da ciência para justificar seus atos. Mas a OMS já se posicionou contra a exigência do passaporte da vacina, que está sendo exigido nas viagens entre países.

Se a ameaça se concretiza, seria mais um constrangimento para a população além de atingir o comércio da cidade, já combalido com as consequências dos lockdowns durante a pandemia. Chegaria no momento das vendas natalinas, crucial para recuperação de parte do prejuízo.

Por causa do impacto no comércio, entidades tem reagido à exigência do passaporte sanitário. A Abrasel solicitou ao governo a retirada das barracas de praia da exigência. E a Fecomércio soltou uma nota, criticando a medida, cobrando bom senso para a garantia dos direitos individuais e a proteção da liberdade.

Confira a nota da Fecomércio:

Fonte: Sistema Paraíso de Comunicação.

 

 

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, sob o Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalho atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, onde apresento o Programa HORA DA NOTÍCIA - no horário de 11hs ás 13 horas. Nas tardes da Paraíso FM levo alegria de descontração no Programa FORRONEJO de 15hs ás 17 horas. Se ligue com a gente e venha curtir o melhor da informação e do entretenimento musical.

Deixe um comentário