jun
20
2012

Presidente do BNB Jurandir Santiago teve 100 mil depositado em sua conta do dinheiro dos Banheiros Fantasmas. Empresário de Sobral seria Sócio no negócio.

Cheque liga escândalo dos banheiros em Ipu a Jurandir Santiago. De acordo com documentos do Ministério Público, a que O POVO teve acesso, com exclusividade, teria havido uma triangulação de parte do dinheiro entre a Secretaria das Cidades, conta bancária e empresa do presidente do BNB.
Parte do dinheiro que seria destinado à construção de kits sanitários para famílias carentes do município de Ipu (294km de Fortaleza) foi parar, em 2009, na conta de um posto de gasolina em Fortaleza, cujos sócios eram o atual presidente do Banco do Nordeste, Jurandir Santiago, a então mulher, Silvia Marta Rubens Bezerra, e o engenheiro civil do município de Ipu, Tácito Guimarães de Carvalho, preso na última sexta-feira(16)
Em 2009, Jurandir era secretário adjunto da Secretaria de Cidades e o responsável pela liberação das verbas para a construção dos equipamentos. Na noite de ontem, o procurador geral do Estado do Ceará, Ricardo machado, decidiu incluir o nome de Santiago no rol dos denunciados no escândalo.
O POVO teve acesso, com exclusividade, aos autos do processo que trata do “escândalo dos banheiros” e apurou, com base na denúncia apresentada pelo Ministério Público à Justiça, que o repasse de R$ 1,4 milhão para a construção dos kits foi feito através de dois cheques da Caixa Econômica Federal (CEF), no dia 29 de maio de 2009, uma sexta-feira. Na segunda-feira seguinte, dia 1 de junho de 2009, data da compensação dos cheques, R$ 100 mil entraram na conta do Posto de Gasolina Boa Vista LTDA.
Três dias depois de o dinheiro entrar na conta do posto, Jurandir deixou a sociedade da empresa, iniciada em fevereiro de 2007, segundo dados fornecidos pelo Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional. O posto de gasolina seria, então, o meio através do qual o grupo desviou parte do dinheiro.
Ainda de cordo com o MP, o restante do dinheiro teria sido desviado de outras duas maneiras: uma parte dos recursos foi retirada do banco “em espécie” e outra parte por meio da “aquisição de mais outros dois cheques administrativos (…) no valor de R$ 300 mil e R$ 150 mil”.
BANHEIROS…
Em julho do ano passado, depois de denunciar esquema de desvios de recursos destinados à construção de kits sanitários, O POVO visitou vários municípios no Ceará, dentre eles Ipu, e verificou que, até aquele momento, muitos banheiros ainda não tinham sido construídos na cidade.
Pela assessoria de imprensa do BNB, Jurandir informou que não não vai se pronunciar porque não recebeu notificação oficial até o momento.
ENTENDA A NOTÍCIA.
De posse dos depoimentos, documentos e de demais peças que, supostamente, ligam Jurandir ao caso dos banheiros, o Ministério Público Estadual vai aditar à denúncia original as atuais conclusões das investigações. O caminho do dinheiro liberado pela Secretaria das Cidades.
No dia 15 de janeiro de 2009, a Secretaria das Cidades assinou dois convênios milionários com a Prefeitura Municipal de Ipu para a construção de 2.108 kits sanitários em moradias de pessoas carentes da cidade. Juntos, eles somam R$ 3,162 milhões. Um deles no valor de R$ 1,5 milhão, dos quais R$ 1,41 milhão foi pago no dia 29 de maio de 2009, em duas parcelas: um cheque de R$ 747.915,82 e outro cheque de R$ 673.101,82. Os cheques eram nominais à Construcon Comércio e Construções LTDA, empresa que havia vencido a licitação para realizar a obra.
EMPRESA FANTASMA.
O ex-promotor de Ipu, Kennedy Carvalho, denunciou que a empresa era fantasma e que e a licitação foi direcionada. Segundo ele, a construtora teria sido constituída poucos dias antes da licitação, não tinha sede, os seus sócios eram semianalfabetos e nem sequer se conheciam. Conforme mostram documentos anexos nos autos do processo, do valor total de R$1,4 milhão, R$100 mil teriam sido depositados na conta corrente 2183.003.00000571-8, da caixa Econômica Federal (CEF).
Segundo informações fornecidas ao Ministério Público pela Caixa Econômica, a referida conta corrente pertence ao Posto de Gasolina Boa Vista LTDA.
Outra documentação anexa aos autos do processo, dessa vez enviada ao Ministério Público pela Junta Comercial do Estado do Ceará, mostra que o Posto de Gasolina Boa Vista teve como sócios em 2009, o atual presidente do Banco do Nordeste (BNB), Jurandir Vieira Santiago (há época secretário adjunto da Secretaria das Cidades), a sua então esposa, Silvia Marta Rubens Bezerra, e o engenheiro do município de Ipu, Tácito Guimarães de Carvalho, empresário de Sobral, preso na última sexta-feira.
Documentos enviados ao Ministério Público pelo Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional, do Banco Central, também anexos aos autos do processo, mostram que Jurandir era “representante, responsável ou procurador” da conta da empresa junto à CEF e que a sua data de fim de vínculo com o posto foi 04/06/2009.
Fonte: Jornal O POVO.

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalha atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, com o Programa FORRONEJO e em 2018 estreamos com o Programa A HORA DA NOTÍCIA, a partir das 12 hs. Participo ainda do Programa Alô Alô Zona Norte na Rádio Tupinambá de Sobral, com o quadro "moendo a notícia", onde faço comentários sobre os principais fatos da nossa política.

1 Commentário + Adicionar Comentário

  • Agora sabemos de onde é que vem tanto dinheiro do empresário Sobralense, que investe pesado em outros ramos com dinheiro público, isso é uma vergonha !!!! Mas isso não vai dar em nada daqui alguns dias estarão todos soltos novamente e pousando nas fotos dos jornais da cidade com a maior cara lavada. Esses caras deveriam ser condenados por crimes contra a saúde pública, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e terem todos bens e contas bancárias bloqueados, além das contas dos laranjas também !!!!!

    Por isso que o Brasil não vai pra frente !!!!

Deixe um comentário