dez
1
2021

BRASIL – Ministério lança campanha de combate ao mosquito da dengue

O Ministério da Saúde lançou hoje (30) a campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Até 31 de dezembro, serão divulgados na TV e nas redes sociais vídeos educativos para evitar a proliferação das doenças. 

A campanha deste ano é intitulada “Combata o mosquito todo dia, coloque na sua rotina” e tem objetivo de mobilizar a população para retirar água acumulada de calhas, garrafas, sacos de lixo, pneus e outros recipientes que podem se tornar criadouros do mosquito.

Durante coletiva de lançamento da campanha, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, conclamou a população a estar vigilante no combate ao Aedes aegypti.

De acordo com levantamento apresentado pela pasta, 12 estados tiveram aumento dos casos de dengue em relação ao ano passado. No Amapá, os casos passaram de 53 para 241 neste ano. Em Alagoas, foram registrados 2,2 mil casos ano passado e 6,3 mil em 2021. No Rio Grande do Sul, são 9,9 mil casos registrados neste ano. Em 2020, foram 3,9 mil.

Panorama

Segundo o Ministério da Saúde, de 3 de janeiro a 9 de outubro de 2021, da 1ª até a 40ª semana epidemiológica, o país registrou 479.745 casos de dengue, redução de 47,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Nesse mesmo intervalo foram confirmadas 199 mortes por dengue, redução de 64% se comparado com 2020.

Situação epidemiológica de 2021

Até a Semana Epidemiológica – SE 35 ocorreram 465.897 casos prováveis (taxa de incidência de 220 casos por 100 mil hab.) de dengue no Brasil. Em comparação com o ano de 2020, houve uma redução de 50,1% de casos registrados para o mesmo período analisado.

A Região Centro-Oeste apresentou a maior taxa incidência de dengue, com 490,8 casos/100 mil hab., seguida das Regiões: Sul (219,7 casos/100 mil hab.), Sudeste (202,8 casos/100 mil hab.), Nordeste (190,3 casos/100 mil hab.) e Norte (154,3 casos/100 mil hab.) (Tabela 1, Figura 1A).

Em relação às UF que apresentam as maiores taxas de incidência no País, destaca-se na Região Centro-Oeste os seguintes estados: Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Sobre os dados de chikungunya, ocorreram 78.847 casos prováveis (taxa de incidência de 37,2 casos por 100 mil hab.) no País. Esses números correspondem ao aumento de 22% dos casos em relação ao ano anterior.

A Região Nordeste apresentou a maior incidência com 90,7 casos/100 mil hab., seguida das Regiões Sudeste (27,3 casos/100 mil hab.) e Centro-Oeste (6 casos/100 mil hab.) (Tabela 1, Figura 1B).

Com relação aos dados de zika, ocorreram 4.272 casos prováveis até a SE 31, correspondendo a uma taxa de incidência de 2,8 casos por 100 mil hab. no País. (Tabela 1, Figura 1C). Em relação a 2020, os dados representam uma diminuição de 28,1% no número de casos do País. (Dados do site Saúde do Viajante)

Fonte: Agencia Brasil.

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, sob o Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalho atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, onde apresento o Programa HORA DA NOTÍCIA - no horário de 11hs ás 13 horas. Nas tardes da Paraíso FM levo alegria de descontração no Programa FORRONEJO de 15hs ás 17 horas. Se ligue com a gente e venha curtir o melhor da informação e do entretenimento musical.

Deixe um comentário