maio
17
2020

BRASIL – Com veto de Bolsonaro, motorista de aplicativos e vendedores ambulantes ficam de fora do direito ao auxílio emergencial.

Quem não está inscrito no cadastro do Bolsa Família e esperava o auxílio emergencial, ficará sem o benefício. O presidente Bolsonaro vetou a ampliação do auxílio para profissionais informais que não estão inscritos no Cadastro Único, como motorista de aplicativos, vendedores de porta a porta, pipoqueiros e ambulantes de praia.

O veto feito no projeto que aumenta as categorias que teriam direito ao auxílio emergencial de R$ 600 chega nesta semana ao Congresso Nacional e, mesmo que muitos deputados federais e senadores queiram derruba-ló, o certo é que o auxílio não chegará ao bolso desses trabalhadores informais que não estão no CadUnico.

O governo também vetou a possibilidade de homens solteiros chefes de família de receberem em dobro o benefício emergencial. Pelas regras vigentes, apenas mães chefes de família têm a prerrogativa para os R$ 1.200 do auxílio emergencial. Já a inclusão de adolescentes menores de 18 anos que forem mães no rol de beneficiárias do auxílio foi mantida pelo presidente.

Fonte: Ceará Agora.

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalha atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, com o Programa FORRONEJO e em 2018 estreamos com o Programa A HORA DA NOTÍCIA, a partir das 12 hs. Participo ainda do Programa Alô Alô Zona Norte na Rádio Tupinambá de Sobral, com o quadro "moendo a notícia", onde faço comentários sobre os principais fatos da nossa política.

Deixe um comentário