jun
29
2014

CEARÁ – Terra Santa!! Coveiro planta “roçado” dentro do Cemitério e causa polêmica.

a boa choro

Nesta terra, em se plantando, tudo dá”, a celebre frase na carta de Pero Vaz de Caminha escrita ao rei Dom Manuel, de Portugal, quando chegou ao Brasil, acaba de ressuscitar num cemitério público de uma pequena cidade do Interior do Ceará, Choró, situada a 180Km da capital cearense. O motivo, uma parte da área do campo fúnebre foi transformada em roçado. Aproveitando as horas vagas, o coveiro arou a terra e plantou milho, feijão e melancia.

A colheita ia ser iniciada agora no fim de junho, mas alguns curiosos começaram a bisbilhotar no cemitério e preocupado com a possibilidade de perder o emprego o coveiro resolveu arrancar as plantações de grãos. No local, além das covas e cruzes, restaram apenas algumas melancias. “A judiação seria até maior do que o que fazem aqui com os mortos quando a gente não está vigiando”, desabafou o servidor público. Ele se referia a violação dos túmulos para realização de rituais de magia negra.

No caso das melancias, como estão amadurecendo, com mais alguns dias já estão no ponto de colheita para levar a mesa. O coveiro, o qual teve seu nome preservado para evitar deboches e hostilidades, pretende saborear as melancias com sua família. Para ele, os mortos não vão reclamar, até porque cuida do cemitério com muito carinho e zelo. Tudo está sempre limpinho. Ele havia resolvido cuidar da horta dentro do cemitério porque acreditava que não seria importunado. Pelo jeito foi pior.

Informações: Ceará em Revista.

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalha atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, com o Programa FORRONEJO e em 2018 estreamos com o Programa A HORA DA NOTÍCIA, a partir das 12 hs. Participo ainda do Programa Alô Alô Zona Norte na Rádio Tupinambá de Sobral, com o quadro "moendo a notícia", onde faço comentários sobre os principais fatos da nossa política.

Deixe um comentário