nov
6
2019

BRASIL – “Servidor com filiação partidária não terá estabilidade”, propõe Paulo Guedes.

Mesmo sem enviar a reforma administrativa ao Congresso nesta terça-feira (5), o ministro da Economia, Paulo Guedes, adiantou pontos do texto que deve ser apresentados nos próximos dias.

O ministro centralizou seu discurso na estabilidade dos futuros servidores públicos. Ele adiantou que pretende retirar o “privilégio” daqueles que têm filiação partidária.

“O servidor público é aquele que serve ao público por alguns anos, antes de ter estabilidade. Não ao ser concursado. Não queremos isso”, avaliou Paulo Guedes.

Ele concluiu o raciocínio. “Tem filiação, não é servidor público, é militante. Não terá estabilidade. Servidor público não é quem carrega no peito broche de partido”, concluiu.

Segundo Guedes, o governo não quer retirar “benefícios e direitos”, mas sim, combater privilégios. “Que história é essa de privilégio? Um ascensorista da Câmara ganha seis vezes mais que um da iniciativa privada”, destacou.

A equipe tem se baseado em modelos da Alemanha, da Franca e dos Estados Unidos.

(Fonte: Metrópole.)

About the Author: Bené Fernandes

Radialista com mais de 25 anos de militância em Sobral(CE), e agora Jornalista Profissional, Registro- 01657 MTb - datado de 23/12/2004. Trabalha atualmente na Rádio Paraíso FM-101,1 Mhz, com o Programa FORRONEJO e em 2018 estreamos com o Programa A HORA DA NOTÍCIA, a partir das 12 hs. Participo ainda do Programa Alô Alô Zona Norte na Rádio Tupinambá de Sobral, com o quadro "moendo a notícia", onde faço comentários sobre os principais fatos da nossa política.

Deixe um comentário